Falas impostas


Outro dia, atendia um grupo, falávamos sobre padrões, ao que um dos participantes compartilha com os demais: 'eu acho que o meu padrão está distante da família de comercial de margarina, que a maioria de nós buscamos ser'. Lembro a ele e ao grupo que margarina é um dos piores alimentos para o corpo humano. O grupo ri como se tivesse acontecido, ali, uma descarga de tensão.


Esse comentário me chamou a atenção, pois no grupo de estudos do qual faço parte na @alceppr, lemos o seminário 23 de Lacan e nos debruçamos sobre o capítulo que trata das falas impostas. Lacan pergunta: 'Como é que todos nós não sentimos que as falas das quais dependemos são, de algum modo, impostas?'


Levantei a hipótese de que há muito em comum entre o comercial de margarina com a fala imposta.


Somos bombardeados por estímulos desde muito cedo a ser isso, ser aquilo, ter sucesso, ter dinheiro, ter o carro do ano, ter boa educação, ser sorridente, a ocupar esse lugar nesta 'família de comercial de margarina', onde todos parecemos felizes.


Buscar esse ideal, vindo de fora, imposto, pode delinear o caminho de uma vida inteira. Muitos de nós passamos a vida engolindo coisas que não nos fazem bem, e, é claro, isso será denunciado, muitas vezes em forma de sintoma.


Às vezes, nem sabemos que esses padrões tidos como 'ideais' nos fazem mal. Apenas seguimos tentando nos enquadrar nesse modelo posto, afinal já estava ali antes mesmo de existirmos.

Há um momento que despertamos e perguntamos: - por que mesmo associam esse ideal de felicidade familiar a um produto que faz tão mal a saúde? E começamos a desconfiar que tem alguma coisa estranha.


Mais do que atender a ideais, é preciso buscar aquilo que funciona para você, e isso pode significar distância desta 'familia de comercial de margarina'. É preciso considerar aquilo que funciona para você.


Estar atento ao que é uma fala imposta, abrir mão de cumprir um ideal que vem de fora e dar lugar ao que é originário e singular em si é exercício constante E é por isso que podemos escolher ‘não comer margarina’ e se alimentar de coisas bem melhores.